Lambe-Lambe, em Higienópolis, um restaurante de charme na gastronomia do dia a dia

Posted by on nov 16, 2015 in Brasileiro, Restaurantes, São Paulo, Sudeste | 0 comments

Nova casa dos sócios do italiano MoDi traz clássicos regionais bem executados com ingredientes artesanais

 

Restaurante Lambe Lambe Chef: Diogo Silveira ambiente

A fórmula do italiano MoDi de servir comida de chef a preços acessíveis acaba de ganhar seu paralelo na cozinha brasileira. No mesmo bairro de Higienópolis o chef Diogo Silveira, a sommelier Sissi Spitaletti e Guilherme Castro unem forças a Roni Spitaletti (irmão de Sissi) no Lambe-Lambe, um restaurante descontraído em todos os sentidos e aberto, sem intervalo, do almoço até o jantar.

No prato, a casa resgata a cozinha familiar do sudeste e centro-oeste do país com uma abordagem de bistrô, algumas memórias do cotidiano paulistano e pitadas de modernidade. O Lambe-Lambe nasceu do desejo de relembrar a boa comida caseira do dia a dia, seja da família paulistana Spitaletti, seja da culinária do Centro-Oeste onde o chef Diogo nasceu, e oferecer essas memórias gustativas de forma mais apurada, com extremo cuidado na seleção dos ingredientes e dando preferência ao artesanal.

Restaurante Lambe Lambe Chef: Diogo Silveira ambiente

Quisemos colocar os sabores comuns em formatos surpreendentes, sem com isso tornar o prato sofisticado demais“, diz Roni. Somaram a isso os 20 anos de experiência de Roni à frente de restaurantes no litoral paulista, onde aperfeiçoou seus conhecimentos no preparo de peixes e frutos do mar. A casa possui dois ambientes. Porta adentro, a parede de lambe-lambes coloridos dá as boas-vindas e o bar azul com longo balcão chama a atenção, mas é o clima caseiro que impera, reforçado pela janela com flores e cortina branca e a presença, ao centro do salão, da grande mesa de madeira trazida da casa da família Spitaletti.

Para quem prefere comer e beber ao ar livre, o deck ao lado de fora possui toldo retrátil. Durante o dia, a cobertura protege do sol forte, mas à noite ela se abre para revelar as esquecidas estrelas do céu de São Paulo. O cardápio, que atende do almoço a qualquer hora à happy hour, oferece uma longa seleção de petiscos e “espetadas” ao lado de pratos completos e bem servidos, com diversas opções vegetarianas.

Para começar, a ampla seção de entradas oferece opções para gostos variados, como o Cuscuz Paulista servido com salada de erva-doce (R$11), o Escabeche de Sardinha acompanhado de tomate caipira e pão de alho (R$ 7) e o Ovo Mole Empanado com purê de mandioquinha e molho de legumes (R$ 13).

cuscuz_1_Lambe Lambe_Mauro Holanda

Escabeche de Sardinha - Lambe Lambe_bx

O Rosbife de Mignon é servido com salada de batata (R$ 16) e a Frigideira de Jiló pode vir com lingüiça, fígado ou queijo (R$ 13). O pastel recheado de carne louca tem a massa feita de mandioca (R$ 6 a unidade, R$ 15 a porção) e a Coxinha de “Passarinho” Cremosa revê a típica coxa-creme, com empanado ainda mais crocante (R$ 10 com 3 unidades). Entre os pratos, a pedida certa para quem gosta de uma boa carne é a Chuleta grelhada (R$ 44), um corte de 400 gramas de gado Angus servido com salada de folhas amargas e vinagrete de cebola, seguida de perto pelo Cupim na Panela com canjiquinha e escarola (R$ 32).

Lambe Lambe Chef Diogo Silveira Cupim na panela com canjiquinha e escarola

A Galinha Caipira vem com quiabo e angú de milho (R$ 33) e o Peixe Frito, um pargo inteiro de cerca de 500 gramas, acompanha vinagrete caiçara (R$ 41). Todos os pratos são servidos com arroz, farofa de pilão e uma opção de feijão – feijão carioca, tutu de feijão ou salada de feijão fradinho.

Já na seção Clássicos, alternam-se na semana um prato por dia, como o Mignon à Cubana (R$ 41) às quintas, com o básico palmito substituído por um creme de palmito fresco. A Feijoada às quartas e sábados (R$ 35 a individual; R$ 60, para 2 pessoas) tem como acompanhamento uma bisteca cozida a baixa temperatura antes de ser grelhada, para conservar a suculência. E o domingo é dia de Marisco Lambe-Lambe (R$ 15), receita típica do litoral que foi uma das inspirações para o nome da casa. Aqui, o prato é preparado com um pequeno e delicado marisco vindo fresco direto do Guarujá. A sugestão é chegar cedo para não ficar sem. Os miúdos, uma das paixões do chef Diogo, também têm vez no cardápio em formas variadas, seja na Rabadinha Lambe Lambe (R$ 15) ou nas Espetadas de Língua (R$ 6) e Dobradinha (R$ 6).

Lambe Lambe Chef Diogo Silveira Feijoada

E, para completar, os saborosos Mexidos (R$ 25) servidos na marmita vêm em três opções: carne, galinha ou legumes. O menu se torna ainda mais nostálgico quando chega à sobremesa. No Lambe-Lambe, quitutes com sabor de infância como Manjar com calda de vinho tinto e ameixa, Cocada Cremosa, Arroz Doce, Brigadeirão e Pudim de Tapioca são feitas pela Sweethings com todo o apuro do premiado chef confeiteiro Arnor Porto. As sobremesas têm o preço único de R$ 11.

Lambe Lambe Chef Diogo Silveira Mexido de Carne

Para acompanhar a boa refeição ou atender aos desejos de fim de tarde, o Lambe-Lambe oferece uma ampla carta de bebidas com mais de 70 rótulos de cervejas artesanais brasileiras, um chope artesanal diferente por semana e dezenas de boas cachaças e coquetéis. Os drinques, assinados pelo mixologista David Barreiro, fazem par com o cardápio e buscam inspiração em clássicos brasileiros, como o Bombeirinho, com açúcar de beterraba e xarope de romã (R$ 15), Rabo de Galo (R$ 15) e o Caju Amigo (R$ 18), feito com compota de caju fresco.

Restaurante Lambe Lambe Chef: Diogo Silveira ambiente

Serviço
LAMBE-LAMBE
Rua Aracajú, 239 – Higienópolis. São Paulo – SP
Telefone: (11) 3473-9782 / 3473-9715
Horário de funcionamento: Terça a sábado das 12h às 23h; domingo das 12h às 17h

Deixe seu comentário!