Curitiba – Paraná – Brasil

Posted by on jan 3, 2015 in Brasil, Sul, Viagens | 0 comments

Curitiba, capital do estado do Paraná, é a oitava cidade mais populosa do Brasil e a maior do sul do País

 

CuritibaPôr do Sol no Jardim Botânico de Curitiba

Com uma população estimada em quase dois milhões de habitantes, a capital paranaense é uma das metrópoles brasileiras mais prósperas, organizadas e com melhor qualidade de vida.

Mesmo sendo exemplo mundial em soluções de urbanismo, educação e meio ambiente, Curitiba também conhecida pelas soluções de transporte público é a capital brasileira do transporte individual, a cidade tem um carro para cada dois habitantes.

Fundada por colonizadores portugueses no século 17, na época, muitos escravos negros foram trazidos para a região e, hoje, a cultura negra em Curitiba é vista, por exemplo, na Igreja do Rosário dos Pretos, um dos prédios do Centro Histórico.

igreja-do-rosarioIgreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de São Benedito é de 1946, com a construção no mesmo local da antiga Igreja – demolida em 1931

Com uma cultura bastante eclética – e influenciada por imigrantes italianos, alemães, poloneses e ucranianos, dos quais descende grande parte da população – essa circunstância é logo percebida por quem chega e nota a arquitetura, a gastronomia e os costumes locais.

Para começar a conhecer os pontos turísticos de Curitiba, o ônibus de turismo que parte da Praça Tiradentes, em horários regulares, é uma das melhores opções.

Praça TiradentesPraça Tiradentes

A Praça Tiradentes atualmente, com mais de 9 mil m², conta com estátuas que homenageiam importantes nomes do Brasil, como Getúlio Vargas, Marechal Floriano Peixoto e o próprio Tiradentes, além do Marco Zero, que oferece informações sobre medidas e distâncias de outras cidades, como São Paulo. Em uma nova reforma, no ano 2008, foram descobertos calçamentos arqueológicos, referentes ao século XIX e, após revitalizados, esse patrimônio histórico pode ser contemplado pelo público através de um piso de vidro laminado e iluminado.

A Linha Turismo circula nos principais pontos da cidade e com ela é possível conhecer os parques, praças e diversas atrações de Curitiba. Considerada uma das melhores do país, a Linha Turismo circula a cada trinta minutos, percorrendo aproximadamente 45 km, em cerca de duas horas e meia.

Linha Turismo

O roteiro começa na Praça Tiradentes, mas é possível iniciar o trajeto em qualquer um dos pontos. Para embarcar você compra uma cartela (R$ 30 – preço em Janeiro/2015) com cinco tíquetes e tem direito a um embarque e quatro reembarques.

Vale lembrar que:

1 – Não opera às segundas-feiras;
2 – Ponto inicial na Praça Tiradentes;
3 – Horário de atendimento das 9h00 às 17h30, a cada 30 minutos;
4 – As cartelas com os tíquetes podem ser adquiridas nos ônibus em qualquer ponto de embarque, ou na URBS – Rodoferroviária – de segunda a sexta-feira;
5 – Crianças até 5 anos não pagam a tarifa.
6 – Somente os ônibus identificados com “adesivo bicicleta” fixado na porta traseira tem possibilidade de transporte de bicicleta ou carrinho de bebê.

Abaixo alguns dos pontos turísticos que valem a visita em Curitiba:

rua-das-flores-curitibaRua das Flores

Rua das Flores, um charmoso espaço para pedestres no Centro da cidade. Tem muitas lojas, cafés, um bondinho e outras atrações. As flores são trocadas a cada estação do ano.

Foi a primeira avenida do Brasil fechada ao trânsito de veículos (em 1971), buscando a circulação livre para os pedestres. Assim, surgiu o calçadão, uma das memoráveis soluções de urbanismo da cidade. O nome Rua das Flores já constava em um mapa da cidade do século 19. Hoje, com as flores distribuídas em canteiros, abrange a pequena av. Luiz Xavier e parte da Rua XV de Novembro.

Rua-XV-de-NovembroRua XV de Novembro

Rua 24 Horas , uma galeria aberta ao público 24 horas por dia. Inaugurada em 1992, é a primeira rua desse estilo no Brasil, sendo um espaço coberto, com opções de lazer, comércio e serviços, e que simplesmente não dorme.

Rua 24 HorasRua 24 Horas

É ponto de encontro e entretenimento para turistas e curitibanos. Possui revistaria, lojas de roupa e artesanato, lanchonetes, bares, restaurantes, acesso à Internet, farmácia, floricultura e banco 24 horas. A galeria possui 116 metros de extensão e dois grandes relógios, um em cada entrada (ou saída), marcam horas em 24 intervalos, em lugar de 12. São iluminados e comandados por uma central eletrônica a quartzo.

A Rua 24 Horas é uma transversal às ruas Visconde do Rio Branco e Visconde de Nacar, no Centro de Curitiba.

Jardim-BotânicoJardim Botânico 

Jardim Botânico de Curitiba, inaugurado em 1991, com uma área de 245 mil m², possui uma imensidão de flores, jardins geométricos e uma estufa de três abóbadas tornando-se um dos principais cartões postais da cidade.

A estufa abriga plantas características da floresta atlântica do Brasil. Sua arquitetura, em estrutura metálica e estilo art-noveau, foi inspirada em um palácio de cristal que existiu em Londres, no século 19.

fonte-do-jardim-botanico-curitibaJardim Botânico

O Jardim Botânico conta ainda com o Museu Botânico Municipal, que foi incorporado ao Jardim Botânico em 1992 com trilhas em bosque de araucárias, lago, quadras esportivas e um velódromo. Em volta da estufa está o espaço cultural Frans Krajcberg com exposição permanente de 114 esculturas do artista e ambientalista.

Jardim das Sensações, inaugurado no ano de 2008 é um espaço formado por cerca viva que proporciona aos visitantes um contato com plantas de diferentes aromas, texturas e formas.

Museu-Oscar-NiemeyerMuseu Oscar Niemeyer

MON - Museu Oscar Niemeyermais conhecido localmente como Museu do Olho é um dos maiores e mais modernos Museus da América Latina. Inaugurado em 2002, quando o prédio principal deixou de ser sede de secretarias do Estado e passou por adaptações onde em sua frente foi instalado o popularmente chamado Olho, um anexo de 30 metros de altura feitos de concreto e vidro que imprimiu uma nova identidade ao complexo.

Com uma programação dedicada à exposição de Artes Visuais, Arquitetura e Design. E um espaço expositivo de alto nível, o Museu Oscar Niemeyer foi colocado no roteiro das grandes exposições, antes restrito ao eixo Rio-São Paulo, e consolidou o complexo como uma referência nacional e internacional. Composto por aproximadamente 2 mil peças, o acervo guarda obras dos paranaenses Alfredo Andersen, Theodoro De Bona, Miguel Bakun, Guido Viaro e Helena Wong, além de Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Oscar Niemeyer, Ianelli e Caribé, entre outros.

MONExposição no Museu Oscar Niemeyer

No Museu Oscar Niemeyer há um Centro de Documentação e Pesquisa, onde estudantes, professores e pesquisadores têm à disposição material para consulta e pesquisa nas três áreas de atuação do Museu – Artes Visuais, Arquitetura e Design. Para ter acesso ao setor, basta o pesquisador dirigir-se à bilheteria e solicitar um Ingresso para Pesquisa (R$ 6 – preço em Janeiro/2015). O museu funciona de terça a domingo, das 10h às 18h. E no primeiro domingo de cada mês o acesso é gratuito.

Museu ParanaenseMuseu Paranaense

Museu Paranaense, fundado em 1876 foi o primeiro museu do Paraná. Possui um acervo de cerca de 300 mil peças e documentos. São peças etnográficas de origem indígena de várias partes do Brasil, peças arqueológicas, mapas antigos, peças históricas das antigas capitanias do sul do País e obras de arte.

Praça-do-JapãoPraça do Japão

Praça do Japão, é uma homenagem aos imigrantes japoneses que chegaram a Curitiba em 1910, dedicando-se à agricultura. A capital paranaense possui a segunda maior comunidade japonesa do Brasil, atrás somente de São Paulo, e hoje abriga mais de 32 mil descendentes de japoneses.

praca_japaoPraça do Japão

Existem espalhadas pela praça 30 cerejeiras enviadas do Japão pelo Império Nipônico, e lagos artificiais nos moldes japoneses. Em 1993, foi construído o Portal Japonês, a Casa da Cultura e a Casa de Chá. A Praça do Japão localiza-se na avenida Sete de Setembro, esquina com a Rua Francisco Rocha, na Água Verde. O Memorial é aberto de terça a domingo, das 9h as 18h.

barigui01Parque Barigui

Parque Barigui, um dos maiores parques de Curitiba, é aos  sábados, domingos e feriados um dos principais pontos de encontro da cidade e, durante a semana, é muito comum as caminhadas em volta do lago. São muitas as opções de entretenimento e lazer no Barigui.

Possui uma área de 1,4 milhão m² e foi transformado em parque em 1972, segundo o projeto do arquiteto Lubomir Ficinski. O termo “barigui” tem origem indígena. Os índios locais deram esse nome ao rio que atravessa o parque e que pode ser traduzido como rio do fruto espinhoso, referindo-se as pinhas que caem dos muitos pinheiros do local.

Parque-Barigui

Parque-Barigui-2

O Parque Barigui possui equipamentos de ginástica, sede campestre, churrasqueiras, restaurante, canchas poliesportivas, quiosques, Museu do Automóvel, Estação Maria Fumaça, parque de exposições, parque de diversão e pista de bicicross. O Parque também abriga a sede da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Lago BariguiLago do Parque Barigui

Muita área verde, com mata nativa, envolve um grande lago de 400 mil m², formado por uma represa. Esse ambiente propicia o desenvolvimento de uma fauna rica. A região de Curitiba possui cerca de 200 espécies de aves e é possível encontrar muitas delas no parque, como os pavós, uma ave grande de peito vermelho, e o papagaio-do-peito-roxo, ameaçado de extinção. Encontra-se, também, capivaras, socós, garças, gambás, tico-ticos, gansos, e muitos outros animais.

barigui11Parque Barigui

O Parque Barigui, assim como os demais parques da cidade, faz parte de uma política municipal de preservação de fundos de vale. O objetivo é evitar o assoreamento e a poluição dos rios através de monitoramento, proteger a mata ciliar, bem como impedir a ocupação irregular das suas margens, tornando estas áreas abertas à população na forma de parques.

Também existe um heliporto no parque, onde se pode alugar um helicóptero e percorrer vários pontos turísticos de Curitiba.

TinguiParque Tingui

O Parque Tingui foi inaugurado em 1994 com 380 mil m² de área, às margens do rio Barigui. Possui lagos, pontes de madeira cobertas, parque infantil, ciclovia e bastante área verde. Uma ótima opção de lazer em Curitiba.

tingui03Parque Tingui

O nome do Parque é uma homenagem aos índios tinguis que habitavam a região por época de sua colonização pelos portugueses. Uma estátua representando o cacique Tindiquera, da tribo Tingui, está colocada na entrada do Parque. Os índios tinguis cooperavam e prestavam serviços para os colonizadores  europeus.

tingui1Parque Tingui

Localizado no Parque Tingui, o Memorial Ucraniano presta homenagem aos imigrantes ucranianos de Curitiba. Inaugurado em 1995, ano em que se comemorou o centenário da chegada desses imigrantes a cidade.

Igreja-de-São-Miguel-Arcanjo-Curitiba2Memorial Ucraniano 

O conjunto do Memorial é composto, principalmente por uma réplica da Igreja de São Miguel Arcanjo, uma casa típica, palco ao ar livre e o portal. Todas as construções feitas com madeira encaixada, ao estilo ucraniano.

Réplica da Igreja de São Miguel Arcanjo - Memorial Ucraniano junto ao Parque TingüiRéplica da Igreja de São Miguel Arcanjo

Igreja de São Miguel Arcanjo segue um estilo arquitetônico bizantino, tradicionalmente usado nas igrejas ortodoxas eslavas. Possui cúpula oitavada de bronze e um campanário externo. A réplica da igreja não tem função religiosa. No seu interior são expostos ícones religiosos, uma coleção de pêssankas e artesanato ucraniano.

TanguáParque Tanguá

O Parque Tanguá, inaugurado em 1996, surpreende pela sua beleza. Envolve uma área de 235 mil m², onde abrigava um antigo complexo de pedreiras hoje desativadas. O Parque preserva áreas verdes próximas à nascente do Rio Barigui, com araucárias.

Tanguá2Fonte superior que alimenta a cascata do Parque Tanguá

Possui uma cascata, dois lagos e um túnel artificial que pode ser visitado de barco ou à pé. O conjunto do parque inclui, também, um mirante, ciclovia, pista de cooper e lanchonete, temporariamente desativada.

Tanguá1Parque Tanguá

O Parque Tanguá localizado no bairro do Pilarzinho, fica na rua Rua Oswaldo Maciel, e deve, obrigatoriamente, ser incluído no seu roteiro de turismo. Vale se programar para ver ao pôr do sol no Parque pois é um dos mais bonitos em Curitiba.

opera-de-arameÓpera de Arame

A Ópera de Arame, com estrutura tubular e teto transparente, é um dos símbolos emblemáticos de Curitiba. Inaugurada em 1992, acolhe todo tipo de espetáculo, do popular ao clássico.

Com desenho arrojado, materiais modernos e cravada em um paredão, o espaço foi projetado pelo arquiteto Domingos Bongestabs, em 1992. A construção é composta por uma estrutura de aço que sustenta bancos de arame e placas de vidro. Apoiada em uma pedreira, a arena tem capacidade para receber aproximadamente 1500 pessoas.

Curitiba-Opera-ArameÓpera de Arame

Entre lagos, vegetação típica e cascatas, numa paisagem singular, faz parte do Parque das Pedreiras juntamente com o Espaço Cultural Paulo Leminski, cenário da encenação da Paixão de Cristo e de outros grandes eventos desde 1989, e pode abrigar, ao ar livre, 20 mil pessoas. O local foi palco, na noite mágica de 4 de abril de 1993, na festa dos 300 anos de Curitiba, do concerto do tenor catalão José Carreras, com a Orquestra Sinfônica Brasileira.

Santa FelicidadePortal de Santa Felicidade

Santa Felicidade, originalmente um reduto de italianos, o bairro começou a ser ocupado na década de 1870. A vizinhança se estruturou rapidamente e, no final do século 19, cerca de 200 famílias já habitavam a região. Na época, os moradores da colônia se dedicavam, principalmente, à produção de queijos, vinhos e hortigranjeiros. Caminhando pelo bairro, ainda é possível encontrar casas de madeira construídas no período.

MadalossoEntrada do restaurante Madalosso

Além de guardar a cultura trazida pelos imigrantes italianos a Curitiba, Santa Felicidade é um importante pólo gastronômico. O bairro abriga o restaurante Madalosso, considerado o maior da América Latina, além de várias outras cantinas italianas, vinícolas e lojas de artesanato.

As origens italianas ficam ainda mais evidentes em manifestações típicas, como a Festa da Polenta e do Frango, que ocorre anualmente no Bosque São Cristóvão, que pertence à Paróquia de Santa Felicidade, e conta com excelente estrutura de lazer.

saocristovaoBosque São Cristóvão

Antigamente, Santa Felicidade era um caminho de passagem dos tropeiros. Em meados dos seculos 18 e 19, as tropas paravam para repousar e alimentar-se dando inicio a tradição de Santa Felicidade como um bairro gastronômico.

Mercado MunicipalMercado Municipal de Curitiba

Visitar um mercado, seja qual for o destino, nunca enjôa. Mesmo os não muito agradáveis são, no mínimo, autênticos. Fundado em 02 de agosto de 1958, o Mercado Municipal de Curitiba é o principal e mais tradicional endereço para compras na cidade. Em 2010 houve uma reforma e ampliação do local, que agora ocupa toda a quadra entre a Avenida Sete de Setembro e a Avenida Presidente Affonso Camargo, no Cajuru.

Mercado Municipal Curitiba1Mercado Municipal de Curitiba

Nas bancas de hortigranjeiros e nas lojas de delicatessens, o consumidor encontra produtos como: bebidas, queijos e vinhos de diversas procedências, ervas medicinais, temperos e especiarias, iguarias, conservas, pescados, embutidos, carnes exóticas e com cortes especiais.

Mercado Municipal

Na praça de alimentação do mercado é possível encontrar restaurantes que trazem desde comidas típicas brasileiras à alimentos de preparação asiática. No entanto, o Mercado Municipal de Curitiba, tem uma opção bastante diferente mas que tem muito a ver com a qualidade de vida proposta pela cidade: uma praça de alimentação só de orgânicos.

MorretesMorretes

E se você tiver um tempinho a mais na cidade, aproveite para pegar o Serra Verde Express, o trem que leva até a Serra do Mar Paranaense. São 110 quilômetros viajando pela maior área preservada de Mata Atlântica do Brasil e por uma ferrovia com 128 anos de história. O Trem da Serra do Mar Paranaense parte diariamente de Curitiba rumo à cidade de Morretes, onde você pode experimentar o autêntico barreado.  São aproximadamente 3 horas de viagem.

tremTrem Serra do Mar Paranaense

A trabalho ou a passeio, Curitiba proporciona o prazer em descobrir que existe uma grande capital brasileira que funciona bem. E ao contrário do que se diz, é uma cidade de gente bonita, educada e receptiva.

Já o papo de que todo curitibano é esnobe, não passa de uma generalização que, como todas, cai mal. Aliás, esse “adjetivo” serve pra aqueles que acreditam que o carioca é folgado, o paulista estressado e o baiano  lerdo.

Deixe seu comentário!