Restaurant Gustu, a novidade vem da Bolívia

Posted by on abr 7, 2014 in América Latina, Bolívia, Restaurantes | 0 comments

Claus Meyer cofundador do restaurante dinamarquês NOMA, que foi premiado em 2010, 2011 e 2012 como o melhor restaurante do mundo (título conferido pela revista inglesa Restaurant que publica o S. Pellegrino World’s 50 Best, o ranking mais aguardado no meio gastronômico), inaugurou em Abril do ano passado um restaurante-escola no mais subdesenvolvido país da América Latina.

Claus Meyer in the Gustu kitchen, La Paz, BoliviaClaus Meyer no Restaurant Gustu – Foto: Divulgação

É difícil encontrar resposta para questões como: De que modo se movimentará o mundo da gastronomia em 2014? No entanto, por mais estranho que pareça, a novidade mais animadora chega do país mais pobre da América do Sul, a Bolívia.

Considerado pelo Fórum Econômico Mundial como a  nação que pior recebe o turista no mundo e com os piores indicadores socioeconômicos, a Bolívia entra em pauta para contradizer todos esses índices, mesmo sem ter muita tradição gastronômica.

La Paz foi a cidade escolhida pelo chefe Claus Meyer como cenário para o seu novo e talvez mais ambicioso projeto, o Restaurant Gustu. Esse dinamarquês é simplesmente o cofundador – ao lado de René Redzepi – do NOMA, eleito três vezes seguidas o melhor restaurante do mundo.

O mais interessante de tudo é que não se trata de um restaurante dinamarquês na Bolívia, mas de um restaurante com os mesmos conceitos que o NOMA, que somente utiliza ingredientes locais.

O Gustu é um restaurante local, pensado e concebido por um dos grandes gênios da gastronomia contemporânea. Atualmente são 14 chefs bolivianos trabalhando no Gustu, que foi inaugurado em abril do ano passado, e que está localizado na parte sul da cidade, onde vivem os moradores mais ricos da Bolívia. Desse modo, diplomatas, turistas e a elite boliviana são a clientela chave, devido aos preços inacessíveis para a maioria da população.

De fato a Bolívia não é um país de muita tradição gastronômica, e Meyer não chegou a La Paz por acaso. Em parceria com a ONG dinamarquesa Ibis, houve uma longa pesquisa, com durabilidade de dois anos, para encontrar o local ideal. E nesse processo de escolha de um país ao redor do mundo, haviam cinco exigências : baixa criminalidade, alta pobreza, estabilidade política, diversidade biológica e uma cozinha que efetivamente não tivesse desenvolvido os ingredientes do país.

Para Meyer é um grande desafio, e a ele resta apostar em ingredientes locais como por exemplo a folha de coca, abundante e polêmica no país. Inclusive, uma de suas criações, (“…com resultado surpreendente“, como afirmou o chef espanhol Diego Alias do celebrado Restaurant Ca l’Amador, e  que visitou o Gustu recentemente), é a manteiga com pasta de coca, servida com pães no couvert de entrada.

Gustu-a-la-cartaRestaurant Gust – Foto: Divulgação

Com cerca de 1200 tipos de batatas e a inusitada carne de ilhama, Meyer tem aí outros bons ingredientes que permitem originalidade e marca única para desenvolver a comida boliviana.

No cardápio figuram menus de cinco, sete ou 15 pratos que chegam muito bem apresentados em placas ásperas de ardósia e em tigelas de cerâmica.

PicFrameRestaurant Gustu – Foto: Divulgação

Para essa empreitada em La Paz, Meyer trouxe apenas algumas coisas, dentre elas, dois cozinheiros, Kamilla Seidler (que é dinamarquesa) e Michelangelo Cestari (um cidadão italiano nascido na Venezuela), ambos chefs que falam espanhol trabalharam em alguns dos melhores restaurantes do mundo, incluindo o Le Manoir aux Quat’Saisons na Inglaterra, e o Mugaritz na Espanha.

fs-gustu-restaurant-la-pazKamilla Seidler e Michelangelo Cestari, entre outros chefs – Foto: Divulgação

Além do restaurante, Meyer montou uma escola para treinar uma nova geração de jovens chefs e profissionais de cozinha a partir dos seus conhecimentos. Uma outra marca do projeto é que todos os ganhos são revertidos para uma fundação local, a Melting Pot Foundation, que realiza interessantes projetos sociais como o de capacitação dos moradores, muitas vezes de origem humilde, para serem chefs e gerentes de restaurante.

Recentemente o congresso Madrid Fusion (evento que reúne a cúpula internacional da gastronomia de alto nível, onde são apresentadas as últimas inovações e, por isso, é considerado o mais importante evento do setor), apontou a cozinha andina como a moda atual no campo da gastronomia contemporânea, incluindo nisso o pisco e o ceviche.

GUSTUS-COMPLEJO-CULINARIORestaurant Gustu – Foto: Divulgação

Se voltarmos um pouco no tempo a cozinha peruana era totalmente incógnita do mundo, já hoje é considerada a queridinha da gastronomia, mantendo excelentes restaurantes nas maiores cidades do mundo, e com um representante de peso, Gastón Acurio.

Enquanto os seus vizinhos, em particular o Brasil, a Argentina e o Peru, se estabeleceram no cenário gastronômico do mundo, a Bolívia ainda tem que criar sua marca, e para isso conta com um chef renomado que percebeu que o país tem uma biodiversidade interessante e inexplorada.

Sem dúvida, qualidade e potencial existem para o restaurante. E se o seu vizinho, Peru, já é uma realidade, Meyer e o Gustu chegam para mostrar a força da Bolívia. E o que se sabe até agora, é que o projeto, a configuração e a comida de Meyer foram todos muito bem recebidos. Porém, só o tempo dirá se o movimento da cozinha boliviana irá florescer como objetivou Meyer ao batalhar por uma melhora social e gastronômica daquele país.

gustuRestaurant Gustu – Foto: Divulgação

Informações e reservas:
Site – http://restaurantgustu.com/
E mail – booking@restaurantgustu.com
Telefone - 591 (2) 2117491
Endereço - Calacoto, calle 10 Nº 300 casi Costanera – La Paz – Bolivia

Deixe seu comentário!