Pirenópolis – GO – Brasil

Posted by on mar 17, 2014 in Brasil, Centro-Oeste, Viagens | 0 comments

pirineus

A encantadora Pirenópolis, fundada em 1727, localizada a apenas 120 km de Goiânia e 150 km de Brasília, atrai turistas pelo preservado casario colonial e pelas singelas igrejinhas espalhadas por suas ladeiras e ruas de pedra.

Pirenópolis foi um dos primeiros municípios do estado de Goiás, e foi fundado com o nome de Minas de Nossa Senhora do Rosário Meia Ponte. Tombada como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), em 1989, Pirenópolis conta com um Centro Histórico ornado com casarões e igrejas do século XVIII, além de prédios de expressiva beleza arquitetônica como o Teatro de Pirenópolis, o Cine Teatro e a Casa de Câmara e Cadeia.

aFoto: Leonardo Neto

A cidade que é terra natal da dupla sertaneja Zezé Di Camargo & Luciano, despontou para o país após servir de cenário para o filme “Dois Filhos de Francisco”, em que conta a trajetória dos músicos.

Pirenópolis também serve de palco para a histórica Festa do Divino Espírito Santo, uma tradição iniciada em 1819 e que se completa com o Festival de Cavalhadas.

A Festa do Divino Espírito Santo é um festejo religioso de origem portuguesa que dura cerca de 20 dias e foi reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro. Ocorre durante as festividades de Pentecostes, 50 dias após a Páscoa. No entanto, um detalhe faz a diferença, o evento realizado na pequena cidade goiana é considerado o mais bonito do Brasil.

foto2Foto: Divulgação

Pelos arredores, a cidade esconde reservas ecológicas repletas de cachoeiras perfeitas para banhos ou prática de atividades como o rapel. E ainda tem trilhas para caminhadas que levam aos mirantes naturais da Serra dos Pirineus.

Com boa infraestrutura de hospedagem, através de casas alugadas para temporada ou confortáveis pousadas, Pirenópolis fica lotada durante as comemorações da Festa do Divino e da Cavalhada, uma bela e emocionante encenação onde os cavaleiros revivem lutas medievais envolvendo mouros e cristãos. A festa folclórica dura três dias e a programação inclui ainda coroação do imperador, espetáculos de fogos de artifício, repique de sinos e procissão de bandeiras. Os eventos são sempre acompanhados pelos mascarados, que se fantasiam com coloridas cabeças de boi ou de onça e divertem a garotada.

Pirenópolis possui uma culinária local representada por pratos típicos como o arroz com pequi, a pamonha, o empadão, a guariroba, a paçoca de pilão e seus doces. Pela cidade épirienu fácil encontrar frutos típicos do cerrado como: baru, jatobá, caju-do-cerrado, cagaita, mangaba, entre outros.

E para provar os pratos típicos e outras delícias de Pirenópolis não deixe de visitar os restaurantes:

Chiquinha Bar e Restaurante - Localizado no Centro Histórico, oferece um delicioso risoto goiano que é servido na panela de ferro.

Restaurante Pedreiras – Localizado na Estrada dos Pirineus, altura do Km 1,5 serve comida caseira, feita no fogão à lenha.

Venda do Bento Bar e Restaurante – Venda antiga com mobiliário de época, que foi montada em um casarão colonial totalmente restaurado. Oferece as melhores cachaças do país com deliciosos petiscos.

Empório do Cerrado – Um ambiente mais sofisticado que mistura a culinária goiana contemporânea e a tradição de bons restaurantes.

Pirineus Restaurante – Localizado no Centro Histórico, é um buffet de comida típica goiana.

Café Pirineus – Localizado no Centro Histórico, próximo a feira do Coreto, é ponto de encontro cultural da  cidade. O café oferece local arejado, com jardim e funciona como cafeteria, foccateria e doceria.

cozinha_show

Por lá acontece, desde 2003, o Festival Gastronômico e Cultural de Pirenópolis, e nessa oitava edição que já tem data definida, de 23 a 26 de Maio, a cidade se tornará a capital da gastronomia no Estado. Reunindo chefs renomados de várias regiões do Brasil, entre eles: Roberta Sudbrack, Erick Jacquin, Paula Labaki, William Chen Yen, Emiliana Azambuja, Ian Baiocchi, Tati Barros e outros. Além da programação os turistas poderão ainda participar de oficinas. Os eventos serão concentrados no Cine Pireneus e no anexo ao cinema.

Cine Teatro

Conhecer a simpatica Telma Lopes Machado, propriétaria e integrante da quarta geração de proprietários da Fazenda Babilônia, aos arredores de Pirenópolis, é passeio obrigatório para quem visita a cidade.

Não apenas com histórias sobre sua família e os tempos áureos do ouro e da cana-de-açucar, mas também com um farto e inesquecível brunch sertanejo, Telma nos presenteia. Ela e três ajudantes preparam os quitutes da tradicional cozinha goiana, que são feitos em fogões a lenha ou em tachos de cobre.

foto

Dos tempos áureos, a Babilônia mantém impecavelmente conservado o casarão sede. E na sede o destaque fica por conta da capela toda original. Um encantamento se dá ao visitar a capela que foi restaurada e é dedicada a Sant’Ana e São Joaquim (os pais de Maria e avós de Jesus).

Telma e os parentes ainda guardam relíquias da época do comendador, uma delas é a imagem de Nossa Senhora da Conceição, com 21cm de altura, esculpida por José Joaquim de Veiga Valle, nascido em Pirenópolis em 1806 e morto na Cidade de Goiás, em 1874.

foto1

Com tanta história a riqueza, a Fazenda Babilônia acabou tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1965.

Tanto aconchego, ar bucólico do interior mas também inúmeras opções de esportes radicais são  motivos de sobra para trazer você até a cidade de “Piri”, como é carinhosamente chamada pelos apaixonados por Pirenópolis.

PQAAAAal_OqNWEkaQ3wR_MrbL7IWGhFf3E7qW3X_UkAiUhm6zkAKWJY0y7jd34u6AMRie1fkmdDDMiH30BwpyYfFPssAm1T1ULpS8MrOGHNqDU1uJ-Sz6IQov6MJ

Viajar é sem dúvida uma das experiências mais enriquecedoras e gratificantes das quais uma pessoa pode desfrutar ao longo da vida. E conhecer Pirenópolis é um destino que apura os sentidos, abre horizontes, pinta o mundo com novas cores e desafia os seus limites.

Casa de Câmara e CadeiaFoto: Divulgação

ATRAÇÕES CULTURAIS:

Fazenda Babilônia - Nenhuma propriedade traduz melhor os tempos do ouro e da cana-de-açúcar do que a Fazenda Babilônia. Tombada pelo IPHAN, com casarão, engenho, museu e capela, oferece um autêntico café da manhã tropeiro para seus visitantes.

Igreja Nossa Senhora do Rosário – Construída entre 1728 e 1732, é considerada o maior e mais antigo monumento de Goiás. Sofreu um grande incêndio em 2002 e foi reinaugurada recentemente graças a um intenso trabalho de restauração. Avenida Neco Mendonça, no centro

Cine Pirineus – Inaugurado em 1930, em estilo Neoclássico e seis anos depois sua fachada foi alterada para estilo Art Décor. Entrada gratuita com agendamento.

Teatro de Pirenópolis – Fundado em 1899, por iniciativa de Sebastião Pompeu de Pina, tem estilo híbrido entre o colonial e neoclássico. Entrada gratuita.

Casa de Câmara e Cadeia – Construído em 1919 como réplica idêntica do original de 1733.

Festa do Divino – De origem cristã, a festa ocorre na época do Pentecostes (geralmente entre maio e junho) e tem como significado principal o recebimento do Divino Espírito Santo e suas bênçãos.

Igreja Nossa Senhora do Carmo – Abriga o Museu de Arte Sacra. Construída entre os anos 1750 e 1754, pelo minerador Luciano Nunes Teixeira, era utilizada na época como capela particular da família Frota. Taxa de visitação R$ 2.

Museu do Divino Espírito Santo – Antiga Casa de Câmara e Cadeia, construída em 1919. Em 2009 foi reformada para instalação do Museu da Festa do Divino. Taxa de visitação : R$ 2,00

Ponte de Madeira sobre o Rio das Almas – A primeira Ponte de Madeira foi construída quando ainda era apenas um arraial, a atual ponte foi construída em 1903.

Museu da Família Pompeo – Casarão do sec. XVIII, construído pelo Comendador Joaquim Alves de Oliveira, museu particular onde pode ser vista boa parte da história da cidade. Visitação com agendamento.

Museu das Cavalhadas - Museu particular com um rico acervo sobre as Cavalhadas de Pirenópolis. Taxa de visitação: R$ 2,00.

Centro Histórico, Rua do Rosário – O centro da cidade de Pirenópolis preserva a arquitetura do período colonial, com seus casarões do século XVIII debruçados sobre o Rio das Almas.

Santuário Vagafogo – Uma reserva particular do patrimônio natural, criada em 1990 para promover a educação ambiental e o ecoturismo. Tem uma trilha com perscurso total de 1500 m que revela árvores centenárias da mata que margeia  Rio Vagafogo.

Parque Estadual Serra dos Pirineus –  Criado em 1987 para garantir a preservação da fauna, flora e manancias da região. O Parque abrange a área do Pico dos Pirineus, suas serras e encostas. Local ideal para prática de caminhada, mountain bike e escaladas.

Cachoeira do Rosário – Um santuário natural que abriga uma cachoeira de 42 metros de queda, envolta a mata e corredeiras cristalinas. Administrado por pessoas comprometidas com a preservação ambienta, eles oferecem excelente hospitalidade e uma farta refeição  caipira feita no fogão à lenha.

bbFoto: Leonardo Neto

Deixe seu comentário!